Denúncias falsas levam à execução de inocente em Maputo.

Ontem, por volta das 22 horas, agentes do Serviço Nacional de Investigação Criminal (Sernic) executaram um jovem, cujo nome preferimos omitir, na zona da Circular. Depois de perfurarem a sua viatura com saraivada de tiros, os agentes ainda introduziram uma arma AK-47 e bebidas para ludibriar a opinião pública.

De acordo com fontes de “Justiça Nacional”, chegou ao Sernic a informação de que o referido jovem era um raptor. Alguns agentes foram colocados a vigiarem-no, mas não se lhe viu nenhuma actividade criminosa. Mesmo assim, por ordens de Diogo Mapanda, chefe do Departamento de Informação Operativa (DIO) no Sernic, os agentes em causa tiveram que o executar justamente quando saía da casa da sua namorada.

Aliás, pessoas próximas do jovem disseram a uma equipa da piquete que foi remover o corpo que o rapaz era boa pessoa e não se lhe conhecia nenhuma actividade criminosa.

Por outro lado, segundo fontes do próprio Sernic, Diogo Mapanda teria sido suspenso, há duas semanas, das suas funções, alegadamente por ter mostrado incompetência no combate aos raptos. Sendo assim, a execução daquele jovem é como uma mensagem aos seus superiores (de Diogo Mapanda) de que ele ainda tem tudo sob controlo.

Ainda de acordo com fontes do Sernic, hoje, terça-feira, durante a formatura no Comando, decidir-se-á qual vai ser a sorte de Diogo Mapanda. Ou é removido do cargo para sempre ou…

Fonte: Justiça Nacional

You may also like...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *